Apostilas para concursos 2018

48.409 Questões

16.287 vagas em concursos

 

 

Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018.

 

QUADRIX | Nível Superior

» Conselho Regional de Psicologia da 6ª Região (CRP SP) abre concurso para 275 vagas

FUNDEP | Nível Médio

» Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Minas Gerais (CBM MG) abre concurso para 500 vagas

CESPE UnB | Níveis Médio e Superior

» Banco do Nordeste S/A (BNB) abre concurso para 700 vagas

 

Concursos da Vunesp

CESGRANRIO | Níveis Fundamental, Médio e Superior| salários de até 4.894,08

» Liquigás abre concurso para 1.349 vagas

 

 

 

 

página com questões do Enem

Conjunção



Objetivo: Estudo de Conectivos

 


CONJUNÇÃO



O assunto conjunção é cobrado em concurso público com certa regularidade. As questões que mais caem são aquelas com conjunções adversativas e concessivas. Veja um exemplo de prova da Fundação Carlos Chagas.



(FCC – 2014 – TRF 1ª Região – Analista) Nos trechos O livro, porém, é outra coisa (do primeiro parágrafo) e reler é mais importante do que ler, embora para se reler seja necessário já haver lido (do terceiro), as conjunções, no contexto dos parágrafos, estabelecem, respectivamente, relação de



a) causa e condição



b) consequência e finalidade



c) adição e temporalidade



d) oposição e concessão.



e) proporção e contraste.



Alternativa D.



Abaixo trazemos a teoria com vários exemplos de provas recentes.



Conjunção é a palavra invariável (não flexiona em gênero ou número) que serve para ligar duas orações ou dois termos semelhantes da mesma oração. Embora tradicionalmente conhecida como conectivo oracional, apenas, a conjunção, como podemos perceber pelo conceito, pode assumir um papel acidental de nexo vocabular (ligação, vínculo) à semelhança da preposição.



“Vocábulo que estabelece conexão entre palavras ou partes de uma frase. Em português são conectivos: conjunções, pronomes relativos e preposições” (Matoso Câmara Jr.).



Exemplos de Conjunções



O tempo e a maré não esperam por ninguém. ( e – liga dois substantivos)



Ouvi primeiro e falai por derradeiro. (e – liga dois verbos)



Trabalhar ou estudar.



As flores desfiguram a imagem da vida e transfiguram a máscara da morte.



As conjunções que relacionam temos ou orações de idêntica função gramatical têm o nome de Coordenativas.



I. AS CONJUNÇÕES COORDENATIVAS SÃO:



1) Aditivas: soma, adição.

Exemplos: e, nem, mas também.



(FGV – 2015 – TJ SC) A manchete abaixo em que os termos ligados pela conjunção E mostram a relação lógica de causa e consequência é:



a) Jornal belga recebe ameaça de bomba e funcionários são retirados.



b) Franceses mostram coragem e vão à passeata.



c) Chargistas criam sindicato e se protegem do terror.



d) terrorista dá entrevista e se mostra arrependido pela morte de outro muçulmano.



e) jornais árabes condenam atentado e defendem o autêntico Islã.



Alternativa A.



2) Adversativas: oposição, contraste ou compensação.

Exemplos: mas, porém, contudo, não obstante, todavia, entretanto, no entanto, não obstante, etc.



Relação de contrariedade. A ideia de adversidade cria uma expectativa que não se concretiza.



(FGV – 2015 – TJ SC) Considerando-se a relação lógica entre os dois segmentos (Millôr Fernandes) adiante citados, o espaço pontilhado que NÃO poderá ser corretamente preenchido pela conjunção mas é:



a) Guio bem, …....... o motor do meu carro sempre foi pra mim um mistério insondável.



b) Condenam-se muito os excessos, …...... também há um limite para o mínimo.



c) Eu sofro de mimfobia, tenho medo de mim mesmo, …....... me enfrento todo dia.



d) A pobreza não é necessariamente vergonhosa, …....... há muito pobre sem vergonha.



e) Pobreza extrema é quando uma pessoa não entra na favela, …....... acha aquele ambiente grã-fino demais para ela.



Alternativa E.



(FCC – 2014 – TJ AP) Porém, há que se pensar de que modo efetivar esse processo tendo em vista a melhor contribuição possível para a formação dos alunos.



Na frase acima, os elementos sublinhados têm, respectivamente, o sentido de



a) Ainda assim / afim



 b) Por conseguinte / por conta de



 c) Entretanto / objetivando



 d) Ou melhor / apesar de



 e) Aliás / retificando



Alternativa C.



(FCC – 2013 – Sergipe Gás) Nem sempre, porém, menos gelo significa más notícias.

A conjunção grifada acima pode ser substituída, sem alteração do sentido original, por:



a) enquanto.



b) por isso.



c) ainda que.



d) senão.



e) no entanto.



Alternativa E.



(FCC – 2013 Sergipe Gás) No entanto, a música não é mais algo que fazemos nós mesmos, ou até que observamos outras pessoas fazerem diante de nós.



Considerando-se o contexto, é INCORRETO afirmar que o elemento grifado pode ser substituído por:



a) Porém.



b) Contudo.



c) Todavia.



d) Entretanto.



e) Conquanto.



Alternativa E.



(FCC – 2013 – TRT – 18ª Região -GO) A dificuldade mais monumental, contudo, provinha dos desafios técnicos do projeto...



Sem que nenhuma outra alteração seja feita, mantêm- se o sentido e a correção da frase acima, caso se substitua o elemento sublinhado por



a) haja vista.



b) conquanto.



c) todavia.



d) porquanto.



e) apesar disso.



Alternativa C



(VUNESP 2013 – PC SP – Agente de Polícia) Considere o trecho:



Leve para casa ponderou meu conselheiro, como quem diz: É dua. Mas acrescentou: procure direito e o endereço aparece.



Sem que seja alterado o sentido do texto e de acordo com a norma-padrão da língua portuguesa, o termo em destaque pode ser corretamente substituído por:



a) Porém.



b) Portanto.



c) Porquanto.



d) Por isso.



e) Pois.



Alternativa A.



(FUNCAB – 2013 – IPEM-RO) A palavra ENTRETANTO, empregada para introduzir o período Entretanto, o desenvolvimento científico e tecnológico passou a exigir cada vez mais precisas e diversificadas., no último parágrafo, denota, em relação ao trecho anterior, uma ideia de :



a) tempo.



b) finalidade.



c) explicação.



d) proporção.



e) oposição.



Alternativa E.



(CESPE 2008 – TRT 1ª Região RJ) As conjunções destacadas nos trechos a seguir estão associadas a uma determinada interpretação. Assinale a opção que apresenta trecho do texto seguido de interpretação correta da conjunção destacada.



a) “quando foram cidradas 399 mil vagas (L.4) - proporcionalidade



b) 'como dizem meus filhos' (L.5) - comparação



c) 'É um erro imaginar que há inflação no Brasil (L16-17) - consequência



d) “O ministro avaliou, entretanto, que o impacto maior” (L.19) - oposição



e) “Isso porque a decisão sobre juros tende a trazer mais recursos para o Brasil” (L.20) - conclusão



Alternativa D



(EXATUS – 2013 – PM ES) As conjunções destacadas no 3º parágrafo do texto estão associadas a uma determinada função. Assinale a alternativa em que a função da conjunção destacada está correta:



a) quando = proporcionalidade.



b) ora... ora = explicação.



c) e = conclusão.



d) que = conclusão.



e) porém = oposição.



Alternativa E



3) Alternativas: alternância ou exclusão.

Exemplos: ou, ou…ou, ora…ora



(MS Concursos – 2012 – PC PA) "Esses fatos se repetem a cada dia, com o conhecimento de todo mundo, especialmente dos responsáveis pela aplicação da Justiça, mas nada é feito para evitá–los ou sequer reduzi–los." Analisando sintaticamente essa frase, pode–se afirmar:



I – Trata–se de um período composto por coordenação.



II – Trata–se de um período composto por subordinação.



III – O "mas" introduz uma oração coordenada sindética adversativa e o "ou", uma oração coordenada sindética alternativa.



IV – O "mas" introduz uma oração subordinada sindética adversativa e o "ou", uma oração subordinada sindética alternativa.



V – Como não há conjunções, as orações são sindéticas.



Estão corretas as afirmações feitas em:



a) I e III, apenas.



b) II e III, apenas.



c) I e IV, apenas.



d) II e IV, apenas.



e) I, II e V, apenas.



4) Conclusivas: conclusão.

Exemplos: logo, portanto, por conseguinte, logo,



(CETRO – 2014 Fundação CASA) Observe a oração, em seguida, assinale a alternativa em que a conjunção destacada estabeleça o mesmo sentido e tenha a mesma classificação que a conjunção destacada na oração abaixo.



Portanto, não basta reduzir a maioridade penal e instalar UPPs em áreas consideradas violentas.”



a) Ainda que medidas socioeducativas sejam implantadas, decisões mais rígidas devem ser tomadas.



b) Desde que a polícia começou a agir naquela região, o índice de criminalidade diminuiu.



c) O índice de roubo seguido de morte aumentou naquele bairro. Logo, medias devem ser tomadas para garantir a segurança dos moradores.



d) É preciso garantir educação de qualidade a fim de que o índice de criminalidade diminua.



e) Conforme veiculada na mídia, houve rebelião.



Alternativa C



(FUNCAB – 2012 – PM AC) As conjunções destacadas podem ser substituídas, no contexto, respectivamente, por:

“MAS em matéria de segurança do cidadão e, PORTANTO, de avanço da criminalidade, chegamos a níveis insuportáveis.”



a) Porém - contudo



b) Pois - entretanto



c) Então – no entanto



d) Todavia – por conseguinte



e) Logo – mas também



Alternativa D



(FIP – 2009 – Câmara SJC) Assinale a alternativa em que todas as conjunções coordenativas sejam conclusivas:



a) de mo que / no entanto / então / porém.



b) pois / portanto / ou / senão.



c) assim / logo / todavia / porque.



d) por conseguinte / de modo que / portanto/ logo.



e) mas / logo / nem / de modo que.



Alternativa D.



5) Explicativas: explicação. Exprimem razão, motivo.

Exemplos: porque, porquanto , pois (anteposta ao verbo)



(FGV -2014 – TJRJ) “Não nos contentamos em conhecer, / não nos basta possuir, / não somos seres passivos”; nesse trecho do texto 1 há três segmentos destacados e, entre eles, as conjunções adequadas seriam:



a) mas – já que;



b) e – pois;



c) pois – e;



d) já que – logo;



e) porém – dado que.



Alternativa B



As conjunções subordinativas ligam orações sintaticamente dependentes.



Ex.: Espero que tudo termine bem.



Espero não tem sentido completo, o qual será completado pela oração seguinte.



II. AS CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS SÃO:



1) Integrantes: relacionam orações subordinadas substantivas. As quais tem a função de sujeito, de objeto direto, objeto indireto, de complemento nominal, de aposto. QUE para afirmação certa e SE para afirmação incerta.



(FCC – 2013 – TRT 18ª Região GO) Suas telas, se não eram destruídas ou vilipendiadas, eram guardadas...



Preservando- se o sentido original, o elemento sublinhado acima pode ser corretamente substituído por

a) embora.



b) como.



c) quando.



d) desde que.



e) caso.



Alternativa C.



2) Causais: Iniciam uma oração subordinada denotadora de causa.

Exemplos: uma vez que, porque, porquê, visto que, que.



(FCC 2015 – TRE RR) Mas vou para, que não pretendi nesta crônica escrever um manual do perfeito candidato.



Identifica-se, no segmento sublinhado acima,



a) uma finalidade, que reafirma as intenções do autor, expostas no texto.



b) condição, pois o autor conclui não ter conseguido aconselhar o candidato.



c) noção de causa, que justifica a decisão tomada pelo autor.



d) a consequência de uma ação deliberada anteriormente



e) ressalva que restringe o sentido da afirmativa anterior



Alternativa C



(FCC – 2014 – TCE GO) No contexto, identifica-se relação de causa e consequência, respectivamente, entre



a) o fato de Adorno e Horkheimer terem concebido o conceito de indústria cultural e o modo como pensaram a questão da cultura no capitalismo recente.



b) o fato de tudo ter se transformado em mercadoria descartável no capitalismo recente e a arte ter sido desqualificada como tal.



c) o caráter alienante da cultura hegemônica no capitalismo e a interpretação criativa que o espectador crítico desenvolve.



d) a pequena amplitude da indústria cultural contemporânea e a resignação forçada dos consumidores diante da repetição de produtos e temas.



Alternativa B



(FCC – 2013 – TRT 15ª Região) Como esta camada de poluentes dificulta a dispersão do calor, o resultado é o aumento da temperatura global.



Na frase acima, o conectivo como tem o valor de ......, podendo ser substituído sem prejuízo do sentido e da correção por ...... . As lacunas são completadas corretamente em:



a) comparação - tanto que



b) causa - porque



c) conformidade - por que



d) comparação -porque



e) causa - tanto que



Alternativa B.



3) Concessivas: Iniciam uma oração subordinda em se admite um fato contrário à ação principal, mas incapaz de impedí-la.

Exemplos: embora, ainda que, mesmo que, conquanto.



Conquanto tivesse recursos, passaria sem eles.



Tentou compreender o filho, embora já não lhe pudesse perdoar.



Por mais sincero que fosse, nada contaria ao amigo.



Bandeira livre e bandeira oficial foram comuns, posto que em graus diversos, a todo o Brasil.



(FCC – 2013 – TRT 12ª Região – SC) As informações sensíveis a que temos acesso, embora restritas, não comprometeram nossa sobrevivência no laboratório da vida. (5º parágrafo)

Mantendo - se a correção e a lógica, sem que nenhuma outra alteração seja feita na frase acima, o elemento sublinhado pode ser corretamente substituído por:



a) conquanto.



b) contanto que.



c) entretanto.



d) porém.



e) no entanto.



Alternativa A.



(FCC 2013 – TRT 12ª Região SC) ... e esses compositores estão obviamente vinculados um ao outro, embora seja fácil aos que estão familiarizados com a linguagem do período distingui-los. Sem qualquer outra alteração da frase, o elemento sublinhado acima pode ser corretamente substituído por:



a) Visto que



b) à medida que



c) de modo que



d) desde que



e) ainda que



Altenativa E.



(FCC – 2015 – SEFAZ-PE) Considere os períodos A e B e as assertivas que seguem a eles.



A.Eles se esforçaram bastante, mas não conseguiram atingir a meta proposta para o setor.



B.Eles se esforçaram bastante, ainda que não tenham conseguido atingir a meta proposta para o setor.



I.Tanto em A, quanto em B, os enunciados que compõem o período relacionam-se por contraposição, motivo pelo qual os conectores mas e Ainda que pertencem à mesma categoria, a das conjunções adversativas.



II.Em A, o primeiro segmento do período cria a expectativa de que o esforço foi recompensado; o segundo, introduzido pela conjunção mas, constitui elimi-nação da expectativa criada no primeiro.



III.Em B, o segmento introduzido pela locução conjuntiva constitui argumento contrário, mas não suficientemente forte para desmentir o argumento anterior.



IV.No período em que aparece a conjunção mas, prevalece a orientação argumentativa do segmento que ela introduz; no período em que aparece a locução ainda que, prevalece a orientação argumentativa do segmento que ela não introduz. Está correto o que se afirma APENAS em



a) II, III e IV.



b) I, II e II.



c) I e IV.



d) II e III.



e) II e IV.



(VUNESP 2015 – TJSP – Contador Judiciário) Nos trechos ainda que em grau bem menor (quarto parágrafo) e Portanto, não é que o tempo seja mais instável (quinto parágrafo), as conjunções em destaque podem ser substituídas, sem prejuízo de sentido, respectivamente, por:



a) pro conseguinte e Então.



b) porém e Entretanto.



c) conforme e Se Bem que.



d) mesmo e Porque.



e) embora e Logo.



(TJ SC – 2010 – Técnico Judiciário) Alega o autor, na exordial, que sua inscrição em órgão de restrição ao crédito ocorreu em razão do inadimplemento do financiamento; _______ , limitou-se a juntar uma declaração de que a instituição financeira procedeu à inscrição de seu nome no Serviço de Proteção ao Crédito. Este período fica correto com qualquer uma das conjunções abaixo, EXCETO:



a) conquanto



b) entretanto



c) contudo



d) todavia



e) porém



Alternativa A



4) Condicionais: condição ou hipótese.

Exemplos: se, caso, contanto que.



(VUNESP 2013 – FUNDUNESP) Em ... agora nem existiriam mais na minha lembrança se eu não encontrasse essas linhas rabiscadas em Londres ou na Suíça. o termo em destaque estabelece entre as orações relação de

a) causa, podendo ser corretamente substituído por visto que.



b) finalidade, podendo ser corretamente substituído por afim de que.



c) condição, podendo ser corretamente substituído por caso.



d) comparação, podendo ser corretamente substituído por como.



Alternativa C



(IF-PE 2014) Assinale a alternativa que corresponde, respectivamente, aos valores semânticos das conjunções destacadas nos trechos abaixo.



I. Pagam fortunas para construir modernas mansões, desenhadas por arquitetos de renome, e são obrigados a escondê-las atrás de muralhas [...]?.

II. Muito mais ricos seriam os ricos se vivessem em uma sociedade onde todos fossem educados?.

III. Os ricos brasileiros usufruem privadamente tudo o que a riqueza lhes oferece, mas vivem encalacrados na pobreza social?.



a) adversativo, consecutivo, concional.



b) conclusivo, causal, consecutivo.



c) aditivo, condicional, adversativo.



d) adversativo, condicional, adversativo.



e) aditivo, causal, adversativo.



Alternativa D



5) Conformativas: conformidades.

Exemplos: conforme, segundo, como.



(FUNCAB – 2013 – PM ES) Em: COMO disse recentemente JoãoUbaldoRibeiro [...], a conjunção destacada poderia ser substituída, sem prejuízo do sentido, por:



a) quando

b) conforme

c) por que

d) dado que

e) de modo que






Alternativa B



6) Comparativas: comparam duas orações.

Exemplos: como, mais… (do) que, menos… (do) que



(FCC – 2013 – TRT 18ª Região GO) Você acredita no amor romântico? Alguns dirão que pessoas maduras sabem que o amor não existe. Outros, que é diferente de paixão, sendo esta passageira, enquanto o amor seria algo mais sólido, dado a parceria de longa duração.



O tema nos encanta, apesar de alguns teóricos afirmarem que o amor é mera invenção da literatura européia medieval, universalizada, de modo equivocado, pelos autores românticos dos séculos 19 e 20.



(adaptado de: Luiz Felipe Pondé. Folha de S.Paulo, 11/02/2013)



.. enquanto o amor seria algo mais sólido, dado a parcerias de longa duração.



Considere-se o contexto, no seguimento acima há uma



a) concessão.



b) indicação de finalidade.



c) comparação.



d) contradição.



e) indicação de causa.



Alternativa C.



7) Consecutiva: consequências.

Exemplos: que, de sorte que, de forma que



(VUNESP - 2014 SP Urbanismo)



Pobres das Flores dos Canteiros



Pobres das flores dos canteiros dos jardins regulares.

Parecem ter medo da polícia…

Mas tão boas que florescem do mesmo modo

E têm o mesmo sorriso antigo

Que tiveram para o primeiro olhar do primeiro homem

Que as viu aparecidas e lhes tocou levemente

Para ver se elas falavam…



No verso – Mas tão boas que florescem do mesmo modo –, a segunda oração, em relação à primeira, expressa sentido de



a) causa.



b) tempo.



c) explicação.



d) consequência



e) oposição



Alternativa D



(IBFC – 2014 PC RJ) No trecho “O surto agora atingiu proporções tais que já não é mais possível enfrentá-lo”, o conectivo em destaque introduz o valor semântico de:



a) proporcionalidade



b) explicação



c) consequência



d) comparação



e) conformidade



Alternativa C



8) Finais: finalidade

Exemplos: para que, a fim de que, que, porque



Na frase "Como a ação não tinha capital próprio, criou–se a moeda como uma forma de proporcionar troca de trabalho entre os participantes" (linhas 14 e 15), as conjunções em destaque estabelecem, respectivamente, relação de:



a) comparação e causa.



b) causa e finalidade.



c) explicação e caus.



d) causa e comparação.



Alternativa B



9) Proporcionais: estabelece proporções.

Exemplos: à medida que, ao passo que



(MPE MS – 2011 – Promotor de Justiça) As conjunções grifadas nas expressões abaixo se referem respectivamente às elações de:



I – À medida que os meses passavam, sentia-me mais preparado para o concurso de minha vida.



II – Apesar dos esforços constantes, a comunidade do bairro não logrou êxito na prefeitura para o asfalto na linha de ônibus.



III – Ainda que tenha se esforçado, não conseguiu chegar a tempo para o baile.



IV – Assim que chegar, não se esqueça de trancar a porta.



a) consequência – concessão – concessão – tempo.



b) proporcionalidade – concessão - concessão – tempo.



c) consequência – finalidade – concessão – tempo.



d) proporcionalidade – concessão – concessão – condição.



e) consequência – concessão – concessão – condição.



Alternativa B.



10) Temporais: indicam tempo.

Exemplos: quando, antes que, enquanto, depois que



(CESGRANRIO 2014 – Petrobras) O período “Terminada a aula, os meninos faziam fila junto à dona Clotilde, pedindo para carregar sua pasta.” (l.58-59) pode ser reescrito, mantendo-se o sentido original e respeitando-se os aspectos de coesão e coerência, da seguinte forma:



 a) Quando terminava a aula, os meninos faziam fila junto à dona Clotilde e pediam para carregar sua pasta.



 b) Porque terminava a aula, os meninos faziam fila junto à dona Clotilde, além de pedir para carregar sua pasta



 c) Ao terminar a aula, os meninos faziam fila junto à dona Clotilde, apesar de pedirem para carregar sua pasta.



d) Terminando a aula, os meninos faziam fila junto à dona Clotilde, que pedia para carregar sua pasta.



e) Embora terminada a aula, os meninos faziam fila junto à dona Clotilde, cujos pediam para carregar sua pasta.



Alternativa A.



Outras Questões:



(FGV – 2011 – SEFAZ RJ – Auditor Fiscal da Receita Estadual)



Diga que você me adora

Que você lamenta e chora

A nossa separação

Às pessoas que eu detesto

Diga sempre que eu não presto




(versos 16-20)



No trecho acima há quantas ocorrências, respectivamente, de pronomes e conjunções?



a) Sete e cinco.



b) Cinco e cinco.



b) Seis e cinco.



d) sete e quatro.



e) Seis e quatro.



Alternativa D.



1. (CESGRANRIO – 2011 – FINEP – Técnico – Suporte Técnico) Considere a sentença abaixo.

Mariza saiu de casa atrasada e perdeu o ônibus. As duas orações do período estão unidas pela palavra “e”, que, além de indicar adição, introduz a ideia de



a) oposição

b) condição

c) consequência

d) comparação

e) união



2. (FCC – 2012 – TCE-AP – Técnico de Controle Externo) Preços mais altos proporcionam aos agricultores incentivos para produzir mais, o que torna mais fácil a tarefa de alimentar o mundo. Mas eles também impõem custos aos consumidores, aumentando a pobreza e o descontentamento. (início do 2o parágrafo)

A 2a afirmativa introduz, em relação à 1a , noção de



a) condição.

b) temporalidade.

c) consequência.

d) finalidade.

e) restrição.



3. (FUNCAB – 2010 – SEJUS-RO – Contador) Releia-se o que escreve Beccaria:



“Contudo, se o roubo é comumente o crime da miséria e da aflição, se esse crime apenas é praticado por essa classe de homens infelizes, para os quais o direito de propriedade (direito terrível e talvez desnecessário) apenas deixou a vida como único bem, […….] as penas em dinheiro contribuirão tão-somente para aumentar os roubos, fazendo crescer o número de mendigos, tirando o pão a uma família inocente para dá-lo a rico talvez criminoso.” (parágrafo 5)

A palavra ou locução que, usada no espaço entre colchetes deixado no período, fortalece a conexão lógica entre as orações adverbiais condicionais e o que ele afirma a seguir é:



a) inclusive.

b) além disso.

c) então.

d) por outro lado.

e) mesmo.



4. (FGV – 2010 – DETRAN-RN – Assessor Técnico – Contabilidade) “… e eu sou acaso um deles, conquanto a prova de ter a memória fraca”; a oração grifada traz uma ideia de:



a) Causa.

b) Consequência.

c) Condição.

d) Conformidade.

e) Concessão.



5. (FUMARC – 2011 – PRODEMGE – Analista de Tecnologia da Informação) No trecho “Ao tempo de Pilatos e de James Joyce, a linguagem virtual estava longe”. Mas, além da realidade física, da palavra impressa, ela servia de símbolo da identidade e da perenidade da comunicação”.



Os termos negritados acima têm, respectivamente, a equivalência de



a) adversidade – causa – tempo.

b) consequência – tempo – adversidade.

c) tempo – adversidade – adição.

d) adição – adversidade – tempo.



6. (COPEVE-UFAL – 2010 – CASAL – Advogado) Em qual período o se é uma conjunção integrante?



a) “Paraquedista se prepara para romper a barreira do som com salto da estratosfera.”



b) “Um tecido comum pegaria fogo se fosse exposto diretamente a essa radiação.”



c) “Sabe-se também que a alimentação materna pode ter impacto na chance de a criança vir a desenvolver câncer.”



d) “Marilyn Monroe morreu aos 36 anos de forma trágica, vítima de uma overdose de medicamentos que até hoje não se sabe se foi intencional, acidental ou provocada por alguma misteriosa conspiração política.”



e) “Não fale rápido demais. Se sua dicção não for boa, ninguém irá entender o que você diz.”



7. (CONSULPLAN – 2006 – INB – Analista de Sistemas) “Já a produção de petróleo não é suficiente para atender à demanda, embora a dependência externa no setor tenha conhecido…” O termo “embora”, nesse fragmento, estabelece relação lógico-semântica de:



a) Condição.

b) Adição.

c) Conformidade.

d) Concessão.

e) Tempo.



8. (CONSULPLAN – 2010 – Prefeitura de Congonhas – MG – Técnico de Laboratório – Informática)



“- Pois é, não jogo futebol, mas tenho alma de artilheiro…” a palavra destacada anteriormente exprime ideia de:



a) Escolha.

b) Contraste, oposição.

c) Finalidade.

d) Explicação.

e) Soma, adição.



9. (NCE-UFRJ – 2010 – UFRJ – Contador) “Dicas para acelerar sem perder o ritmo”. Nessa frase, os dois conectivos sublinhados indicam, respectivamente:



a) direção e negação;

b) comparação e ausência;

c) finalidade e concessão;

d) modo e condição;

e) movimento e modo.



10. (FUMARC – 2011 – Prefeitura de Nova Lima – MG – Procurador Municipal) No Texto lê-se: “A língua que falamos é um bem, se considerarmos “bens” “as coisas úteis ao homem”.

O termo negritado, segundo Cunha e Cintra (2009), tem o valor de um (a):



a) construção linguística que apresenta relação causal.

b) sintagma com sentido opinativo, que apresenta uma relação comparativa.

c) conectivo com valor de condição, pois indica uma hipótese.

d) vocábulo gramatical, que serve para adicionar uma idéia a outra.



GABARITO

1. C

2. E

3. C

4. E

5. C

6. D

7. D

8. B

9. C

10.  C




 

 

 

Aula 1 Aula 2 Aula 3 Aula 4 Aula 5 Aula 6 Aula 7 Aula 8 

treinamento com questões de raciocínio lógico